quinta-feira, 24 de maio de 2018

Nada é por acaso de Maria Roma

Opinião: Como eu tinha saudades de Maria Roma. Esta autora (pseudónimo de Maria José Freitas do Amaral) acompanha-me desde que começou a publicar os seus romances. E em todos eles tenho uma sensação de plenitude. Este não foi exceção.
Esta é uma narrativa contada a várias vozes, de pessoas que podendo, ou não, ser da mesma família, se querem bem, de deixaram de amar, ou descobriram outros amores. Acaba por contar a história de uma família, com as suas qualidades e imperfeições, os seus afetos e desapegos, as suas conquistas e as suas derrotas. Maria Roma tem sempre um conjunto de personagens que nos sendo desconhecidos acabam por ser os nossos vizinhos, os nossos amigos, ou até, em alguns momentos nós mesmos. A realidade e a vida do dia a dia, em momentos chave, tornam as personagens da autora em pessoas comuns, que nos cativam e encantam. A vida destas personagens é feita de acontecimentos banais, mas que para quem os vive são importantes e decisivos para a sua vida. No fundo a vida de todos nós, os leitores, que acabamos por tornar nossa a história que o autor criou.
Neste romance parte-se de uma perda (quem não perdeu já alguém que amou?) que desencadeia um conjunto de acontecimentos e de situações que vão transformar as vidas destas personalidades num caos. Desta confusão vai acabar por nascer uma nova ordem e, em muitos casos, uma nova felicidade, uma nova realidade. Para criar ainda um maior encantamento o romance passa-se, em terras de Itália, onde a beleza deste país fica bem marcada. A descrição dos lugares, quer sejam mais campestres ou mais citadinos, dão colorido a um romance brilhante.
A esta explanação vamos juntar uma escrita clara, correta, onde a escolha das palavras é feita com uma sabedoria e um sentimento que transbordam para o leitor.
Assim sendo, aconselho sem dúvidas este romance, e fico, desde já, a aguardar uma nova história, um novo encanto vindo da pena de Maria Roma.

Sinopse: Nada É Por Acaso é um romance sobre o amor, a paixão, o desamor ou os encontros fortuitos, intensos e arrebatadores. Tal como o belo lago de Sirmione - em Itália, onde decorre a ação - que que muda bruscamente de uma calma plácida e de um calor intenso para uma tempestade arrasadora, também as personagens ganham força e solidez: numas prevalece a amizade, o amor intenso e a compaixão e noutras, o ciúme, a raiva, a inveja e até a vontade de prejudicar os outros de forma premeditada são tão naturais como respirar.
Mas Nada É Por Acaso é sobretudo uma história envolvente sobre a felicidade - perdida ou conquistada - em que o passado e o presente se entrelaçam num objectivo que todos, de formas diversas, anseiam alcançar.







1 comentário:

  1. Desconhecia por completo este livro e esta autora. Vou já apontar.

    ResponderEliminar